Apenas por Tempo Limitado - Economize até 85 %

+ Domínio GRÁTIS por 1 ano

A oferta termina em:

02 :

10 :

39 :

46

Como Montar uma Loja Virtual: Um Guia Passo-a-Passo

Como Montar Uma Loja Virtual Guia Passo a Passo imagem do blog

Antigamente vender pela internet era um bicho-de-sete-cabeças.

Colocar uma loja virtual no piloto-automático era impossível dez anos atrás. Também não dava para gerenciar tudo com um pé nas costas, do conforto da sua cama. A boa notícia é que hoje tudo isso é possível.

Você pode montar uma loja virtual em questão de minutos usando construtores de site de última geração. Você não precisa saber programação nem design para isso.

Você pode usar o tempo que vai sobrar para focar nas coisas importantes, como a criação de campanhas de marketing de cair o queixo e a escolha produtos bacanas para sua loja. As partes da programação, hospedagem e SEO não vão dar trabalho nenhum.

Para ajudar você começar sua jornada, fizemos este guia passo-a-passo mostrando como criar uma loja virtual em tempo recorde.

Índice de Conteúdos

Passo 1: Escolha seu nicho de mercado

Você sabe porque os experts na área do comércio eletrônico sempre falam sobre a importância de escolher o nicho de mercado certo? Porque essa é uma etapa realmente fundamental se você quiser ter uma loja virtual de sucesso.

Vai ser bem difícil fazer sua loja virtual se destacar se você não tiver um nicho muito bem definido.

Com grandes empresas multinacionais dominando várias áreas do mercado, não é possível ganhar muito dinheiro lançando uma loja genérica que vende de tudo. Mas não se preocupe – é por isso que os nichos bem-definidos ajudam tanto.

Um nicho é, basicamente, um jeito chique de chamar a especialidade ou foco de uma empresa.

Digamos que você está criando uma loja virtual que vende brinquedos e outros produtos para crianças.

Você pode tentar incluir em sua loja todos os brinquedos do mundo, de livros para bebês até soldadinhos de chumbo e piscinas infláveis, mas a chance de sucesso vai ser baixa.

Veja porque a ideia acima provavelmente vai dar errado:

  • Sua loja vai ser genérica demais. Se alguém te perguntasse por que sua loja é melhor que as grandes marcas que existem por aí, o que você responderia? Provavelmente você oferece os mesmos produtos que as lojas líderes de mercado, mas não consegue oferecer preços tão baixos como os delas. Você simplesmente não vai se destacar da concorrência o suficiente para fazer seu negócio ter sucesso.
  • Seu público-alvo vai ser amplo demais. Quem são os seus clientes? Se você está vendendo para qualquer um, vai ter dificuldades em criar campanhas de marketing eficazes. Para ter resultado, as campanhas de marketing precisam focar em um público específico. Para resumir: você vai perder seu tempo e dinheiro preciosos atirando no escuro.
  • É trabalho demais. Você é um só, não é verdade? Você sempre pode escalar seus processos, mas (a não ser que você seja a Alice no País das Maravilhas) encolher sua empresa vai deixar você com muitos produtos empacados e muitas noites sem dormir.

Então ouça nosso conselho e, quando estiver montando sua loja virtual, comece pequeno e seja bem específico.

Voltando para nosso exemplo sobre a loja de brinquedos, talvez você queira focar em livros para bebês? Se você escolher esse nicho e for muito bom no que faz, vai poder competir com as grandes lojas de brinquedos.

E como você pode conseguir essa façanha? Na verdade é bem simples, veja como ter um nicho definido pode ajudar você:

  • Ele vai te dar vantagem competitiva. Existe um motivo para os cirurgiões cardiologistas não operarem pernas quebradas. Você deve ter como objetivo fazer uma coisa muito bem, ao invés de focar em ser “mais ou menos” em várias coisas. Isso se aplica às lojas virtuais também. Se especialize em uma área e ganhe vantagem competitiva.
  • Você vai poder fazer um marketing bem focado. Operar dentro de um nicho vai ajudar você a entender exatamente que é seu cliente ideal. Vender livros para bebês filtra bastante seu público, que vai ser composto apenas de pessoas que tiveram filhos recentemente. Mas não entre em desespero olhando para dados sobre seu público: faça esses dados trabalhares por você.
  • Vai ser mais fácil automatizar. Quando você tiver uma ideia clara do tipo de produto que vai querer vender e quem vai ser seu público-alvo, vai poder começar a automatizar muitas tarefas na sua empresa. Vai ser muito menos trabalhoso escolher os preços e as embalagens quando você não tiver um estoque cheio de produtos aleatórios com faixas de preço e estilos totalmente diferentes.
Gráfico de linhas mostrado na tela

Passo 2: Tendências, clientes e concorrentes

Agora que você já escolheu um nicho e sabe bem em que área se especializar, o próximo passo vai ser começar a pensar sobre tendências, clientes e concorrentes.

Pense no seguinte:

  • Que produto (ou produtos) estão em alta no seu nicho neste momento?
  • Qual é o tipo de cliente que geralmente compra produtos no seu nicho?
  • Que empresas vão ser suas concorrentes?

Responder as perguntas acima vai ajudar você a entender no que os clientes estão interessados no momento e o porquê de algumas empresas terem mais sucesso que outras.

Conheça as tendências de mercado atuais

Você deve conhecer bem de perto quais são os produtos mais vendidos no seu nicho e o que faz os clientes amarem esses itens.

O ideal é vender produtos que têm alta demanda, não aqueles que você acha legais mas que mais ninguém usa.

Preste atenção nas reclamações dos clientes sobre esses produtos também. Você deve vender um produto melhor que seus concorrentes, então aprender com o erro dos outros tem muito valor.

Você também pode analisar palavras-chave e termos que as pessoas usam para procurar esse tipo de produto na internet. Saber o que as pessoas estão buscando vai ajudar você a atender às expectativas delas.

Mas não se esqueça de pensar nas épocas do ano também. Pode não ser a melhor ideia vender decorações de Natal em pleno mês de abril, mesmo que você coloque as melhores bolinhas de natal na sua loja.

Saiba que é seu cliente ideal

O próximo passo vai ser, naturalmente, criar o perfil do seu cliente ideal. Para entender seu público-alvo, comece se perguntando estas perguntas:

  • Qual a idade do meu cliente ideal?
  • Onde ele mora?
  • Qual o gênero dele?
  • Que tipos de profissões ele exerce?
  • Ele tem família?
  • Qual a renda mensal dele?
  • Quais os maiores desafios que ele enfrenta no dia-adia?

Nesta altura do campeonato, não tem problema chutar algumas dessas informações. Mas use reviews de produtos e faça uma pesquisa de tendências para ter precisão nas outras informações.

Assim que você tiver ideia de quais são as características do seu cliente ideal, vá em busca de alguns representantes reais desse público-alvo.

Digamos que você está criando uma loja virtual que vende equipamentos de pesca.

Seu cliente ideal pode ser um homem com mais de 40 anos, classe média, que gosta de pescar e trabalha em uma profissão que exige formação universitária. Ele tem uma família pequena e mora em um bairro residencial, provavelmente tem dois carros na garagem e muitas parcelas do financiamento para pagar.

Agora, pode ser que você até conheça alguém que se encaixa perfeitamente nessa descrição. Converse com essa pessoa.

Se você não puder conversar cara-a-cara com seu cliente ideal, você pode criar pesquisas de opinião na internet um grupo focal.

Vá em fóruns online sobre pesca e peça para fazer parte de grupos sobre o assunto no facebook. Quando mais você souber sobre o cliente, mais preparado vai estar para resolver os problemas que ele enfrenta ao usar equipamentos de pesca.

Conheça seus concorrentes

A última coisa para saber é quem está competindo com você nesse mercado.

Tendo um nicho vai ser fácil encontrar algumas lojas virtuais que atendem o emsmo mercado que você.

Depois, você vai precisar ter uma ideia dos pontos fortes e fracos dos seus concorrentes. Faça isto:

  • Entenda os processos e fluxo de compras das lojas concorrentes. Você deve saber o que seus concorrentes estão vendendo e como o processo da empresa deles funciona. Além de ajudar você a encontrar novos tipos de produtos para vender na sua própria loja, você também vai poder se inspirar nas políticas de devolução e no próprio fluxo de compra do site deles.
  • Aprender com o que eles fazem de melhor. Leia avaliações dos clientes e perceba o que seus concorrentes estão fazendo de melhor. Podem ser as campanhas de marketing deles, o design intuitivo da loja ou a forma como eles fazem o atendimento ao cliente. Aprenda com isso e faça ainda melhor na sua loja virtual.
  • Saber onde eles estão errando. Já que o mundo das avaliações e reviews online pode ser brutal, saiba quais são os pontos fracos dos seus concorrentes também. Se um cliente deu apenas três estrelas para a experiência de compra por causa de atraso na entrega do pedido, garanta que na sua loja os itens sejam entregues dentro do prazo todas as vezes.
Pessoa lendo um livro sobre marketing digital ao ar livre

Passo 3: Qual é a sua estratégia de marketing?

Espere um pouco aí… por que chegamos ao passo três e ainda não abrimos nossa loja virtual?

Você já tem seu nicho e já sabe quais produtos e para quem vender. O marketing não é algo que você começa a planejar quando já está pronto para começar a vender?

A resposta é não, porque já seria tarde demais para isso.

Saber como fazer sua loja virtual se destacar na internet exige mais planejamento do que você pode estar pensando agora.

Não se esqueça: sua estratégia de marketing vai determinar quantas vendas você vai fazer. Com certeza você vai querer fazer o marketing do jeito certo e, para isso, é necessário muito planejamento.

Já que o próximo passo vai ser escolher um modelo de negócios, você precisa saber quais canais de marketing vão ser mais úteis para você.

Criar sua loja virtual usando uma plataforma que não tem SEO otimizado, por exemplo, pode acabar tornando inútil a pesquisa de palavras-chave que você vai fazer.

Outra vantagem de conhecer desde o início o público para quem você vai divulgar sua loja é que você vai saber escolher a melhor plataforma de eCommerce.

Para evitar erros, vamos falar sobre as duas principais maneiras de divulgar sua empresa na internet.

SEO (otimização para buscadores)

Criar uma estratégia de SEO é simples.

Primeiro, você encontra as palavras-chave (as mesmíssimas palavras que as pessoas usam para fazer uma pesquisa no Google) para seus produtos. Depois, otimize as páginas da sua loja usando essas palavras-chave para descrever seus produtos e seu negócio.

Isso envolve ter conteúdo de alta qualidade no seu site, usar as palavras-chave certas nos títulos e garantir que a intenção que o usuário tinha para aquela busca está sendo respondida no seu conteúdo.

Tudo isso pode impulsionar sua loja para o topo dos resultados de busca, que é um ótimo lugar para estar se você quer vender muito.

Com uma boa estratégia de SEO, as pessoas que estão procurando pelos produtos que você vende vão encontrar sua loja com maior facilidade.

Ao invés de ter visitas irrelevantes, vindo de todo canto da internet para sua loja, você deve focar em atrair a atenção de quem já está procurando pelos produtos que você vende.

Estratégias de SEO são ótimas para as lojas virtuais por estas razões:

  • É estável. Se você fez a pesquisa de palavras-chave, o número de pessoas chegando na sua loja via pesquisas no Google vai ser estável e continuar crescendo, especialmente se você aparecer na primeira página. Isso significa que sua loja vai gerar uma renda estável todo mês.
  • Você vai receber visitantes relevantes. Já que as pessoas já vão estar pesquisando os produtos que você oferece, é mais provável que, quando clicarem no seu site, eles vão finalizar a compra.
  • É lucrativo. Já que você nbão estará pagando para aparecer no topo dos resultados das pesquisas, o tráfego que seu SEO trazer para seu site vai ser relativamente barato.

Mas, como tudo na vida, escolher o SEO como sua principal estratégia de marketing também tem suas desvantagens:

  • Leva tempo. Não gostamos de trazer más notícias, mas você não vai chegar à primeira página de resultados da noite para o dia. Fazer seu conteúdo chegar à primeira ou segunda página pode levar semanas (e até meses). Não é uma coisa impossível de se alcançar, mas você vai precisar investir tempo para ver resultados.
  • Exige muito esforço. A única forma de começar a ranquear bem no Google é produzir conteúdos que respondam muito bem às pesquisas dos clientes. Basicamente, é isso que os clientes estão procurando. Você vai precisar incluir palavras-chave de produto nas páginas certas, além de criar conteúdo útil para páginas e palavras-chave não relacionadas diretamente a produtos (como posts no blog da sua loja, por exemplo). Quanto melhor for seu conteúdo, mais gente vai poder usar ele como fonte para seus próprios posts, o que vai gerar links para sua página. Seu ranqueamento no Google vai melhorar com esses links.

Resumindo, uma estratégia de SEO é ótima se você tem tempo e paciência, mas não tem muito dinheiro para investir.

Estratégias de SEO são muito eficazes quando seu nicho tem muitos assuntos sobre os quais você pode produzir conteúdo.

Por exemplo, se você tem uma loja virtual de artigos para artesanato, você vai ter muito assunto para produzir conteúdo. Você vai poder escrever sobre projetos de artesanato para fazer com crianças e falar sobre diferentes técnicas e tendências.

Você entendeu a lógica do negócio.

Anúncios pagos

Essa é uma das estratégias mais tradicionais e conhecidas do marketing digital, mas ela não é gratuita.

Para resumir, você cria um anúncio e compra espaço em sites onde quer que esse anúncio seja exibido.

Os sites que mais exibem anúncios são as redes sociais.

Você provavelmente já viu muitos anúncios no Facebook, do lado direito da página ou entre os posts dos seus amigos marcados como “conteúdo promovido“.

Você provavelmente já viu também influencers nas redes sociais criando conteúdo para divulgar certos produtos ou marcas.

Exibir anúncios nas redes sociais é tão comum porque muitas pessoas estão usando essas plataformas, porque as informações que as plataformas têm sobre usuários é muito valiosa e também porque as pessoas passam muito tempo nas redes sociais.

As marcas e empresas precisam estar onde o público-alvo delas está, além de tentar mostrar seus anúncios onde clientes em potencial vão poder ver.

Esse tipo de estratégia de marketing funciona muito bem para produtos e serviços que:

Têm como alvo o consumidor final. Pense nos melhores sites para exibir anúncios pagos: o Google, o Facebook e o Instagram. A maioria dos usuários dessas plataformas são consumidores e não empresas. Um produto feito para consumidores finais vai ter desempenho melhor em campanhas de anúncios pagos.

  • Tenham visual chamativo. Imagine que as redes sociais são shoppings. As pessoas não vão ao shopping só para comprar, mas também para passear, encontrar os amigos e ficar namorando produtos nas vitrines. Isso também acontece nas redes sociais. As pessoas estão lá, primeira e principalmente, para interagir com os amigos e a família. Um produto com visual chamativo vai atrair a atenção dos clientes.
  • Não sejam muito caros. Garanta que o preço do seu produto esteja certo para que as pessoas possam comprar por impulso. Se ele for caro demais, há menos chances das pessoas clicarem no seu anúncio. Não pague para exibir um anúncio que não gere vendas.
  • Não sejam complicados demais. Os clientes devem entender o que é seu produto em questão de segundos. Se seus anúncios forem complexos demais ou muito vagos e difíceis de entender, as pessoas vão continuar rolando o feed sem prestar atenção neles.

Existem algumas coisas que você deve manter em mente se quiser ter sucesso com seus anúncios pagos.

Eles podem custando caro. Exibir anúncios não é gratuito. Você vai precisar investir dinheiro sem ter garantia de um retorno lucrativo.

Além disso, criar, postar e otimizar anúncios pagos exige tempo. Se você estava procurando algo rápido, sentimos muito em decepcionar você.

Os anúncios pagos costumam funcionar bem como principal estratégia de marketing se seu produto seja algo que poderia ser vendido num shopping center.

Outra opção é combinar as estratégias de SEO com um ou dois anúncios pagos, caso você já esteja planejando otimizar palavras-chave específicas.

Ter um anúncio no topo da página também pode ser uma ótima forma de chamar a atenção de pessoas que já estão procurando pelos produtos que você vende.

"business model" escrito no quadro

Passo 4: Escolha um modelo de negócio

Você já sabe bem qual vai ser o foco principal da sua empresa virtual e como você vai divulgar seu site de vendas.

Agora podemos passar para o próximo passo deste nosso guia sobre como abrir uma loja virtual: pensar sobre o dia-a-dia do seu negócio.

Já que sua loja será online, decidir sobre o gerenciamento do estoque é muito importante. Existem dois modelos de negócio que funcionam muito bem com lojas virtuais.

Você pode contratar diretamente os fornecedores, comprar certo número dos produtos que quer vender e usar um cômodo vazio (ou alugar um espaço) para guardar seu estoque.

Outra forma muito conhecida de começar um negócio online é fazer parceria com uma empresa de dropshipping. Isso significa que você vai receber pedidos dos clientes e enviar esses pedidos diretamente ao fornecedor do produto.

Cada um dos métodos tem suas vantagens e desvantagens, então vamos dar uma olhada de perto nos dois para entender qual vai funcionar melhor para sua loja virtual.

Vantagens e desvantagens de manter um estoque

Se você faz a linha tradicional e gosta de lidar de perto com seus produtos, pode ser que manter um estoque próprio e lidar diretamente com o envio de mercadorias seja a melhor opção.

Ter seu próprio estoque pode ser bom para os negócios caso você:

  • Está construindo sua marca. Se você não está simplesmente procurando uma fonte de renda extra, mas sim criar sua própria marca, você precisa estar 100% no controle da experiência do cliente. Isso inclui embalar os produtos (você pode adicionar uma nota personalizada agradecendo o cliente) e rastrear os envios.
  • Quer ter uma margem de lucro maior. O dropshipping pode ser um método bem conveniente, mas você também pode escolher cortar a empresa de dropshipping da jogada e embolsar uma parte maior do lucro. Quando você compra produtos em quantidades maiores, a margem de lucro de cada produto vendido é maior.
  • Quer reagir mais rápido. Podem acontecer problemas na entrega ou com clientes insatisfeitos. Independente da situação, estoque próprio significa que você vai poder resolver problemas muito mais rapidamente.
  • Considera a qualidade do produto sua maior prioridade. Ver o produto e a embalagem pode ajudar você a fazer melhorias na sua loja. Talvez a fita  sada na embalagem dificulte o unboxing, ou que o material da caixa seja difícil de reciclar.

Apesar disso, existem algumas desvantagens de manter um estoque próprio. Estas são algumas dessas:

  • É caro. Você precisa de dinheiro para fazer um investimento bem no início do negócio e comprar grandes quantidades do produto. Por isso, a não ser que você tenha capital inicial, essa opção pode estar fora de cogitação.
  • Ocupa espaço. Mil cartões postais ocupam muito menos espaço do que mil pares de sapatos. Mas, em geral, você deve pensar sobre onde vai guardar seu estoque, caso não queira alugar um espaço para isso.
  • Consome muito tempo. Tudo é muito lindo até que você precise enviar uma encomenda pela transportadora. Se você não está preparado para embalar e enviar um pedido feito durante o fim de semana, pode ser que manter um estoque próprio não seja uma boa ideia no seu caso.

Manter seu próprio estoque pode ser a escolha certa para sua loja virtual caso você seja obcecado por desenvolver sua marca e quer ter 100% de controle sobre o processo de venda.

Vantagens e desvantagens do dropshipping

O método dropshipping facilitou que todo mundo possa testar suas habilidades de gerenciamento de lojas online.

Quem ama o dropshipping aponta o seguinte:

  • Ele economiza seu tempo. Se você não for fã de embalar um pedido depois do outro, muito menos de ficar horas negociando com fornecedores, o dropshipping com certeza é para você.
  • Economiza espaço também. Pode ser que você não veja problema nenhum em guardar algumas caixas com chaveiros no seu corredor, mas tente guardar mil caixas de sapato em casa… vai ser um pouco problemático. Já que você só repassa pedidos ao fornecedor, não vai precisar se preocupar com o espaço que um estoque ocuparia.
  • E ainda economiza dinheiro. Não ter que fazer um investimento inicial para comprar o estoque vai fazer você economizar muito dinheiro e excluir o risco de ficar com mil caixas de sapato que ninguém quer comprar, empacadas.

Compras por correspondência costumavam funcionar da mesma forma, então essa lógica do negócio já está em ativa desde os anos 60. Apesar disso, o dropshipping decolou realmente há mais ou menos 10 anos e, de lá pra cá, só cresce.

O dropshipping fez o enporeendedorismo digital ser muito mais acessível que qualquer pessoa tenha como montar uma loja virtual.

É claro, dependendo do foco e nicho de mercado que você escolheu, o dropshipping pode ter algumas desvantagens, como estas aqui:

  • Perda de controle. Mesmo que você não possa intervir no processo de produção e envio, seus clientes vão vir reclamar com você se tiverem qualquer problema com o produto ou a entrega do pedido.
  • Devoluções demoradas ou proibidas. Ao invés do cliente enviar o produto de volta para que você possa lidar com a situação diretamente, o processo de devolução no método dropshipping pode levar semanas. Isso se o seu parceiro aceitar devoluções.
  • Falta de branding. A maioria dos fornecedores que trabalham com dropshipping não permitem que você customize a embalagem e podem inclusive adicionar seus próprios panfletos e logotipos aos pedidos dos seus clientes. Se você quer criar uma marca séria, provavelmente vai querer que seus clientes recebam pacotes com sua logo.

Por isso, mesmo que o dropshipping tenha ajudado a democratizar o e-commerce e seja uma ótima forma de começar, você vai ter que trabalhar duro para manter os clientes satisfeitos.

O método não é a melhor solução para quer planeja construir uma grande marca.

Placa "hello stranger" em um prédio

Passo 5: Encontre (e registre) o nome perfeito

Você deve estar pensando: “Até que enfim uma tarefa criativa e divertida neste guia passo a passo para montar uma loja virtual, hein?” Bom… não é bem assim.

Escolher o nome da sua empresa pode ser divertido, mas também é algo muito sério. Você não vai querer escolher um nome que, daqui alguns anos, vai acabar odiando, não é verdade?

Bons nomes de empresa podem ser difíceis de criar. Por isso, usar uma lista de tarefas pode ajudar você a ter uma ideia mais clara do que funciona e o que não funciona.

Preste atenção nestes elementos:

  • Relevância. Se sua loja é especializada em artigos para pets, não escolha um nome relacionado a carros, por exemplo. O nome deve ser relevante para seu nicho de mercado.
  • Facilidade de escrever e falar o nome. Não acabe nesta lista ranqueando os piores nomes de empresa. Garanta que seu nome seja fácil de escrever e falar, e que ele faça sentido. Além da linguagem, pense também o que as pessoas vão associar à sua empresa quando lerem ou ouvirem o nome dela.
  • O número de palavras. Qualquer nome com mais que três palavras vai ser complicado de pronunciar, então tente ficar com um nome que tenha entre uma e três palavras. Isso também vai ajudar você a escolher o domínio para o site.
  • Sem conflito de interesses. Teme cuidados com os nomes registrados, porque você pode arrumar muita dor de cabeça por conta disso. Pesquise o nome que você escolheu para saber se ele já foi registrado por outra empresa.
  • O Teste do Bar. Um bom nome de empresa deve passar no Teste do Bar. Isso significa que o nome que você escolher tem que ser fácil de lembrar, falar e ouvir – tão fácil que, se você falar dele para um amigo num bar lotado, ele ainda vai lembrar do nome depois. Essa é uma desculpa esfarrapada para ir pro bar fazer “pesquisa de negócio”.
  • Um domínio .com disponível. Assim que você tiver criado algumas ideias de nome para seu negócio, confira se eles estão disponíveis como domínios terminados em .com. Dependendo do seu nicho, você pode escolher uma extensão mais diferentona (.io ou .xyz), mas um domínio .com é mais fácil de lembrar para os clientes.

Assim que você tiver uma lista de 3 a 5 nomes, vai ser hora de descansar um pouco e voltar a pensar neles no dia seguinte.

Para evitar ser cegado pelo ego, pergunte para outras pessoas o que elas acham dos nomes. Faça uma pesquisa entre seus amigos e familiares, perguntando o que os levou a escolher um nome e não os outros.

Quando você tiver um belo nome escolhido, já poderá começar a executar as próximas tarefas: é necessário registrar seu domínio e escolher uma empresa de hospedagem.

Escolha a empresa de hospedagem que ofereça maior uptime e tem recursos de segurança, como certificados SSL. Você não vai querer repelir nenhum cliente porque seu site não tem um processo de pagamento seguro, certo?

Uma forma de facilitar é escolher uma plataforma de lojas virtuais que toma conta tanto do seu domínio quanto da sua hospedagem, como o Zyro.

Oficialize

Agora que sua loja já está oficialmente na internet, o próximo passo é registrar seu negócio como uma empresa.

O processo é diferente dependendo da região onde você mora, mas geralmente envolve preencher formulários e decidir questões legais.

Você pode escolher ser o único proprietário da empresa, ou seja, que não vai existir diferença entre seu negócio e você como cidadão.

Nesse caso, é muito mais fácil lidar com a declaração de impostos, mas existe um porém: se sua empresa se endividar, você poderá ser pessoalmente processado.

Outra opção é criar uma companhia limitada. Dessa forma sua propriedade pessoal não será aferada se sua empresa passar por um ano difícil, já que sua empresa é uma entidade separada de você como cidadão. Você vai precisar declarar mais impostos.

Procure um bom contador também. Você vai economizar muito dinheiro deixando um profissional tomar conta da contabilidade e das declarações de renda.

amostras de branding e design sobre a mesa

Passo 6: Branding

Chegou até aqui? Que ótimo.

Passe um café bem forte e comece a pensar no visual do seu negócio recém-nomeado.

Pode ser que as opções pareçam infinitas, mas você provavelmente já tem uma ideia do que gosta, mesmo sem perceber:

  • Faça uma lista de empresas que você gosta. Não pense muito, simplesmente escreva o nome das marcas que vierem à sua mente.
  • Pense no motivo que fez você escolher essas marcas. Liste os elementos mais marcantes dos logotipos, anúncios, slogans e outros elementos que chamam sua atenção. Pode ser que o jingle deles grude na cabeça, ou que você foi muito bem atendido pelo suporte deles.
  • Junte os elementos marcantes e os positivos. Você criou uma lista com todas as coisas que se destacam nas marcas que você gosta. Agora coloque elas em ação na sua própria empresa e você saberá como montar uma loja virtual fora da curva.

Você pode aprender que ama a cor verde ou que empresas com uma pegada informal e despojada fazem mais sentido para você – qualquer que seja a conclusão que você tirar da lista que fez, use ela como sua base.

Mesmo que seja OK pegar algumas ideias emprestadas, você não deve tocar em nada que seja registrado ou tenha direitos reservados. Isso inclui não apenas elementos visuais como logos, mas também certas palavras usadas em nomes de empresa registrados.

Qual é a sua missão?

O próximo passo é pensar sobre a missão sua marca vai ter e sobre quais valores você quer comunicar ao mundo.

A descrição da sua missão deve falar por sí só para resumir a personalidade da sua marca.

Os valores da sua marca também devem ser mostrados no seu design.

Se você quer fornecer uma experiência maravilhosa para o cliente, mas seu site é confuso e difícil de usar ou suas campanhas de marketing fazem pouco sentido, a descrição dos valores da sua marca vão parecer mais com promessas vazias.

Não perca a confiança que os clientes têm na sua empresa e que você está trabalhando tão duro para conquistar.

A lista de tarefas do branding

Quando for falar sobre seu branding, foque em coisas como:

  • Sua logo. Ela é a peça central da sua marca, você vai querer que ela seja marcante, simples e que não envelheça mal.
  • A paleta de cores da sua marca. Cores podem ser associadas com várias coisas. Tons de azul lembram da praia ou do céu ensolarado (empresas de turismo e viagem amam usar azul no branding). De forma parecida, o verde costuma ser associado com a natureza (florestas, empresas de comida fitness, Greenpeace) O que sua marca representa? Com o que você quer ser associado?
  • As fontes. Isso pode parecer um detalhe pequeno, mas você quer que as pessoas consigam ler seu site e seus emails, certo? Escolha a fonte principal, que será usada em títulos, e algumas outras secundárias. Pronto! Escolha fontes que sejam fáceis de entender, mesmo de longe.
  • O tom de voz e estilo da sua empresa. Com quem você está falando? Se seu público-alvo principal são as crianças, você provavelmente vai falar de uma forma diferente do que falaria se estivesse em uma reunião com executivos. Customize seu tom de voz e estilo de acordo com o público que você quer atrair para sua loja. Sua linguagem não pode ser irritante ou difícil demais para eles.

Encomende amostras dos produtos

Uma boa maneira de ver como sua marca vai funcionar na prática é testar amostras de produtos.

Se você administra seu próprio estoque, vai precisar entrar em contato com fornecedores. Na maioria das vezes, eles enviam amostras do produto de bom grado, mas você provavelmente vai ter que pagar para isso.

Poder ver de perto a versão final da embalagem e saber se o produto é de boa qualidade vai ser muito valioso. Isso vai ajudar você a eliminar reclamações de clientes antes mesmo que elas aconteçam.

Por outro lado, no método dropshipping, ter acesso a uma amostra do produto pode ser mais difícil, vai depender da empresa parceira.

Você não vai poder opinar muito sobre a embalagem, mas, mesmo assim, vai valer a pena ver de perto como o produto fica quando está embalado.

pessoa na área de trabalho trabalhando com papeis e computador

Passo 7: Crie sua loja virtual

Agora sim! Agora que você já sabe tudo sobre como montar uma loja virtual, chegou a hora de finalmente criar a sua!

Existem muitos jeitos diferentes de criar um e-commerce:

  • Você pode criar uma loja do zero. Esse método é o que exige mais tempo, dinheiro e conhecimento. A não ser que você seja um desenvolvedor, você vai ter que contratar um profissional para criar seu site do zero.
  • Usar um CMS. Essa opção é de média dificuldade. As plataformas de CMS permitem que você crie um site usando temas e plugins, então você não vai precisar fazer todo o trabalho de design e prrogramação. Mesmo assim, se você é um iniciante no mundo das empresas digitais, um CMS pode ser bem complicado ainda.
  • Use um construtor de sites. Essa é uma forma fácil e rápida de colocar sua empresa na internet que não vai custar os olhos da cara. Normalmente, você pode experimentar os construtores gratuitamente, então nem precisa pegar o cartão de crédito na bolsa.

Nós recomendamos escolher um construtor de sites, especialmente quando for criar sua primeira loja virtual. Mas por quê, você pergunta? Porque vai economizar seu tempo e seu dinheiro.

Criar algo do zero leva bastante tempo. Além do mais, se você pagar alguém para criar um site para você, isso vai custar dinheiro. Dependendo da complexidade do seu projeto, o orçamento pode chegar em cinco dígitos.

Um construtor de sites também permite que você tenha total controle. Afinal, você não quer depender de terceiros toda vez que for mudar a descrição dos produtos, né?

Quando é você quem cria seu site, você pode mudar o que quiser nele a qualquer momento.

Escolhendo o construtor de sites certo

Se você quer começar suas campanhas de marketing e ter seu branding visível para o mundo inteiro, tcharam!

Afinal de contas, você provavelmente já contou a novidade para seus amigos e familiares desde que o nome perfeito foi escolhido.

Saber como montar uma loja virtual envolve economizar dinheiro e também se divertir enquando trabalha.

Um criador de sites é a escolha mais rápida de criar sua loja, se divertir trabalhando e economizar dinheiro.

Estas são algumas das coisas mais importangtes que um cosntrutor de sites deve ter:

  • Interface intuitiva. Ninguém tem tempo para aprender a usar um construtor de sites desatualizado. Se o próprio construtor de sites não está guiando você no processo de criação do site, ele não vale o seu tempo.
  • Templates grátis. Seu construtor de sites deve conter muitas opções de templates de alta qualidade, assim você só vai precisar incluir suas informações e talvez mudar algumas fotos.
  • Responsividade. Sua loja virtual pode até ficar linda na tela de um computador, mas ainda assim não ser utilizável na tela de um celular. Um bom construtor de site deve fazer sua loja ser responsiva em telas de qualquer tamanho. Assim sua marca vai sair bem na foto em todos os momentos.
  • Velocidade. Especialmente com lojas virtuais, quanto mais uma página demora para carregar, mais visitantes você vai eprder. Garanta que sua plataforma de criação de sites seja otimizada para alta velocidade.

Seu site também precisa oferecer métodos de pagamento populares, como cartões de crédito e PayPal.

Com um construtor de última geração, como o Zyro, o processo é simples: você escolhe um template, customiza tudo, adiciona seus produtos e clica em Publicar.

Preste atenção nos detalhes

Sua loja virtual depende de boas fotos para vender seus produtos, então não monte suas páginas de produto de qualquer jeito.

Se você está usando o método dropshipping, use geradores de montagens para que as pessoas possam visualizar como o produto ficaria na casa delas.

Se você está gerenciando seu próprio estoque ou encomendou amostras dos produtos, monte você mesmo um estúdio de fotografia improvisado. Com um pouquinho de pesquisa sobre iluminação e ângulos, você pode criar imagens muito boas.

Inclua descrições claras e com SEO otimizado para seus produtos, e mostre tanto fotos feitas no estúdio, quanto cliques dos itens sendo usados na vida real. Talvez seja uma boa ideia fazer colagens com as fotos para criar oportunidades ainda maiores de venda: escolha um item e monte uma coleção de outros produtos que combinem e possam ser usadas junto com ele.

Pode ser um vestido que as pessoas vão poder combinar com acessórios, um boné e sapatos. Ou escolha uma ferramenta de jardinagem e crie uma horta completa ao redor, incluindo potes para plantas e um regador na imagem.

vitrine com adesivos de promoção e manequins

Passo 8: Comece a vender

Solta o som, é hora de comemorar o lançamento oficial da sua loja.

Tire a noite de folga, coloque os pés pra cima e relaxe. Você nos acompanhou até aqui, apendeu como montar uma loja virtual e começou sua própria jornada do zero!

Não perca a empolgação e coloque sua estratégia de marketing em ação.

Comece a produzir conteúdo de alta qualidade para seu blog e suas campanhas de email marketing. Não se esqueça de acompanhar seu desempenho nos rankings das palavras-chave relevantes para seu nicho. Pergunte a seus amigos e familiares (e os amigos deles também) para compartilharem sua loja virtual com o mundo.

E, antes mesmo que você perceba, você vai começar a ouvir o nome da sua loja nas conversas tanto na internet quanto fora dela.

Por que não começar a criar seu futuro de sucesso hoje mesmo?

Escrito por

Avatar do autor

Jeisy Monteiro

Faça parte da conversa

Seu email não será publicado. É obrigatório preencher todos os campos.